ONIPRESENÇA XVIII

No muro, a negra suásticaé o testemunho perfeitode quão pode ser elásticaa consciência e o direito.

É uma advertência cáustica

de que se o homem foi feito

assemelhado ao Perfeito,

Deus há muito já fez plástica.

Está ali, nada e nua,

a supurar pela rua

sua pústula presença,

manchando, mais do que o muro,

o mundo, a tarde, o futuro,

tudo o que o homem condensa.

Viriato Gaspar

(do livro “ONIPRESENÇA”)

Quer ver mais poesias do autor acesse: http://www.viriatogaspar.com.br

Viriato Gaspar
This entry was posted in Poesias. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>